Notícias

01-10-2001 :: Pirataria derruba Brasil do 7º para o 12º lugar no

Estatísticas, divulgadas pela IFPI – Internacional Federation of the Phonographc Industry, com relação ao mercado fonográfico mundial, referentes ao 1º semestre de 2001, apontam uma queda de 5% em valor e 6,7% em unidades comparado com o mesmo período em 2000. O declínio aconteceu devido aos altos índices de pirataria de CDs e da alta difusão da música via Internet, em todos os principais mercados do mundo, com exceção do Reino Unido e da França.

As variações nas regiões foram as seguintes (faturamento):
América do Norte – caiu 5% (este mercado representa mais de 40% do mercado mundial)
Europa – caiu menos que 1%
Ásia – caiu 8%
América Latina – caiu 20,2%
Os países da América Latina que tiveram uma queda maior nas suas vendas foram:
Brasil (36,7%)
Chile (29.5%)
México (12.9%)
Reino Unido – Cresceu 10%
França – Cresceu 8%

A pirataria tem trazido diversos problemas para o mercado fonográfico em geral. No Brasil as gravadoras tiveram que reduzir seu quadro de funcionários, em cerca de 30%, e o seu Cast de artistas. Entre janeiro e agosto de 2000 foram lançados 1.050 títulos nacionais, enquanto que no mesmo período de 2001 foram lançados apenas 760, uma redução de 27,62% dos lançamentos de títulos nacionais.

“Mesmo com esse resultado negativo no primeiro semestre, a indústria fonográfica tem esperança que o Comitê Interministerial de Combate à Pirataria e a Delegacia Especializada em SP, iniciem rapidamente suas atividades para tentar conter a falsificação, principalmente nesta época de final de ano”, avalia Márcio Gonçalves, Diretor Geral da ABPD – Associação Brasileira dos Produtores de Discos.

clique para voltar ao topo